sinto cheiro de poeira na chuva que cai….cheiro ruim de terra vermelha….a lua passeia e nao me enxerga aqui embaixo….queria saber teu sorriso e sentir teu sexo…..sinto o doce sabor do mel do teu beijo…escondendo o sabor amargo do vinho embriagante….a poeira sobe com a chuva fria….a lua amarga amarela ilumina o dia frio….o sol escondeu-se atras das cortinas poeirentas…

amarelas tristes e o azul dos teus olhos sorridentes escondeu-se ….atraz dos cabelos de rapumzel que eu queria subir….cabelos longos que me atraem …sonhos de uma princesa encantada que não verei jamais….princesas e putas que se confundem em seios pequenos duros….bundas grandes que me atraem …o amargor da vida rescende ao mel de tua boca…pareço triste e estou passado…de vinho, mel e amargor amor

Alecrim

Tem muitos dias que o Alecrim está em minha cabeça. Confesso que não tenho a mínima idéia do que é, de como é, um alecrim. Mas a musica volta, sem que eu saiba porque.

Ah, estas canções que não nos abandonam, que chegam pra ficar, volteando na cabeça sem que se saiba porque. O pior é que só sei parte da letra, então entrei na internet pra saber o resto. E ai que a coisa pegou.

Sim, eu me lembro das primeiras estrofes(flor do campo) e também da segunda (alecrim aos molhos). Mas, quando era criança tinha mais, acho que era alecrim cheiroso e como podem ver abaixo as outras estrofes todas estão fora do padrão.

O pior é que já não canto bem, erro frequentemente as notas. E com esta letra, ai não consigo ir muito longe. Assim, ao invés de conseguir aquieitar a minha cabeça que queria ficar paradinha tendo sabido a letra se letra correta existia, consegui mais desassossego.

Será que outros procuram esta canção? Talvez. Ai talvez possam inclusive completar a letra com mais cuidado que consegui

Alecrim, alecrim dourado
Que nasceu no campo
Sem ser semeado

Oi, meu amor,

Meu amor, meu amor
Quem te disse assim,
Que a flor do campo
É o alecrim?

Alecrim alecrim aos molhos
por causa de ti
choram os meus olhos
ai meu amor
meu amor, meu amor

quem te disse a ti
que a flor do monte
era o alecrim

Alecrim do meu coração
Que nasceu no campo
Com esta canção.

Alecrim, alecrim dourado, que nasceu no campo, sem ser semeado.
Ó meu amor, ó meu amor/ quem te disse assim. Que a flor do campo é o alecrim.
Alecrim, alecrim do campo / por causa de ti, choro o meu pranto.
Ó meu amor …
Alecrim, alecrim aos molhos, por causa de ti, choram os meus olhos.
Ó meu amor …
Alecrim, alecrim cheiroso, que se esvoaçou e brotuo de novo.
Ó meu amor …

Alecrim, alecrim dourado

Que nasceu no campo

Sem ser semeado

Ai, meu amor

Quem te disse assim

Que a flor do campo

É o alecrim?

Alecrim, alecrim aos molhos

Por causa de ti

Choram os meus olhos

Ai, meu amor…

Alecrim, alecrim cheiroso

Que se esvoaçou

E mais além brotou

Ai, meu amor

Alecrim do meu coração

Que nasceu no campo

Com esta canção

Ai, meu amor

Alecrim, alecrim a arder

O teu fumo é santo

Junto a Deus vai ter

Ai, meu amor

Professoras

Lembro da minha primeira professora: chamava Leontina. Era meio gordinha, eu acho. A professora da sala ao lado era doida, jogava apagador nos alunos.

Não lembro das outras professoras do primário, da primeira até a quinta serie. Sei que a professa da primeira serie me ensinou a ler rápido. E que tirei foto com a professora da quinta serie quando me formei no primário. Sim, a gente se formava no primário nos tempos idos.

Não lembro das professoras do ginásio. Nem dos professores. Lembranças vagas, como um professor de Geografia que me deu um livro de Malbha Than (contos do povo de deus) e que me abriu os olhos para outro tipo de literatura. Lembro de uma professora de matemática que fazia tudo para nos agradar e que todo mundo achava chata (eu não achava nada).

Ah, lembrei de uma coisa importante: as professoras não me ensinaram a lembrar.

Reflexões de um (ex)sábio

Reflexões inuteis a lá Nietzsche e Paulo Coelho

Axioma da Educação

Voce descobre que está velho quando olha aquela mulher gostosa no metrô, ela lhe sorri de volta e, ato continuo, lhe oferece o lugar para que voce possa sentar.

Luiz, o (ex) Sábio

Axioma da Educação (2)

Voce descobre que está velho quando depois de 6 meses de dieta e malhação, airoso, janota, um pouco gabola,  passa por duas cocotas lindas na praia e ouve já se afastando: “esse cora babaca tá se achando”

Luiz, o (ex) Sábio

Corolário

Se voce não ouve, então é que está velho mesmo

Luiz, o (ex) Sábio

Corolário de significado

Se voce sabe o que significa airoso, janota, gabola e cocota está velho mesmo

Luiz, o (ex) Sábio

Corolário cultural

Se voce e jovem, mas conhecece o significado das palavras listadas no Corolário de significado voce é um jovem culto. Parabens!

Luiz, o (ex) Sábio

Corolário de sabedoria

Se voce é jovem, não sabe o significado destas palavras, mas olhou no dicionário antes de chegar aqui, você será um dia uma pessoa sábia.

Luiz, o (ex) Sábio

=================================

demonios da madrugada

Hora, diabos, acordei no meio da noite
Pensei em demonios e vampiros
Ou em mulas sem cabeça
Mas a única mula que sobrou foi eu
E nem sorvete tem para o fantasma da meia noite comer
E os duendes não vem lamber o pires de leite que para eles deixamos
E se todos os fantasmas, duendes, demônios e outros seres saidos das profundezas
Que vagam por estas noites imortais
Já se perderam
Onde posso eu me encontrar?